colaboradores

BERNARDO
18 anos, RJ
+ info

NARA
16 anos, SP
+ info

LUDEN
15 anos, SP
+ info

SAM
16 anos, SP
+ info

VITOR
18 anos, RJ
+ info

LIZ
15 anos, RJ
+ info

NAT
17 anos, SP
+ info

GABO
16 anos, SP
+ info


Previous Posts

a r q u i v o s

  • Janeiro 2005
  • Fevereiro 2005
  • Março 2005
  • Abril 2005
  • Maio 2005
  • Junho 2005
  • Julho 2005
  • Setembro 2005
  • Outubro 2005
  • Novembro 2005
  • Dezembro 2005
  • Janeiro 2006
  • Fevereiro 2006
  • Março 2006
  • Abril 2006
  • Maio 2006
  • Junho 2006
  • Julho 2006
  • Agosto 2006
  • Setembro 2006
  • Outubro 2006
  • Novembro 2006
  • Dezembro 2006
  • Janeiro 2007
  • Fevereiro 2007
  • Março 2007
  • Abril 2007
  • Maio 2007
  • Junho 2007
  • Julho 2007
  • Agosto 2007
  • Setembro 2007
  • Outubro 2007
  • Novembro 2007
  • Dezembro 2007
  • Janeiro 2008
  • Fevereiro 2008
  • Março 2008
  • Abril 2008
  • Agosto 2008
  • Setembro 2008

  • L    i    n    k    s

  • Google News
  • Rock Town Downloads!
  • ~Daia.no.Sakura
  • Young Hotel Foxtrot
  • É Rock And Roll, Baby
  • Musecology
  • O Resenhista
  • Dangerous Music No Orkut

  • B    U    S    C    A


    L i n k    U s




    c r e d i t o s

    Powered by Blogger
    Design by Nara

    quinta-feira, junho 15, 2006
    Scorpions - Love At The First Sting



    Não consigo entender como tem pessoas que acham que a Alemanha é um país arrogante e sério. Tudo bem, é a terra de gente como Bach, Beethoven e Eistein, é a terra-natal do Rammstein, banda que usa um visual que de fato invoca uma imagem malvada (mas que, acompanhando a banda, vê-se que eles tem sua veia humorística. Maior prova disso é a música "Te Quiero, Puta!" do último álbum, "Rosenrot"...). Além disso, muita gente se lembra da Alemanha apenas como o país do cara com bigode e penteado engraçados e que gritava "Hail!". Mas na Alemanha também surgiram paixões mundiais como a cerveja e a salsicha, entre outras coisas, como a polca, o acordeão e a gaita de boca. Mas é terra também de Nina Hagen e do Helloween (no caso dos 'pais-do-power-metal', não há uma entrevista que se faça com eles sem ter a certeza que, se não fossem excelentes músicos, seriam ótimos humoristas).

    Os Scorpions, uma das únicas bandas não britânicas ou norte-americanas a alcançar um megasucesso mundial, façanha igualada somente por pouca gente, como Sepultura, Nightwish, Angra, Accept e os já citados Rammstein e Helloween, começaram a tocar no final dos anos 70 com o nome de Nameless ("Sem Nome" - sérissimos eles, não?), mas só alcançanram o sucesso a nível global lá para os anos 80. O disco "Love At The First Sting", datado do ano de 1984, um ano antes da banda apresentar-se no primeiro Rock in Rio, tem a formação de Klaus Meine nos vocais, Michael Schenker e Matthias Jabs nas guitarras, e a cozinha do baixista Francis Buchoholz e do baterista Jürgen Rosenthal. A banda já havia gravado pelo menos dois discos famosos ("Lovedrive" e "Blackout"), mas só nesse disco aqui que os Scorpions iriam sagrar as suas três maiores contribuições à história do Rock mundial...

    O disco já começa com seu terceiro maior hit, "Bad Boys Running Wild", puxado por um riff que ajudou a definir os Scorpions como uma das grandes bandas de hard-heavy, tornando a faixa bem característica pela ótima marcação do baixo e umas paradinhas para lá de cativante. A letra, falando sobre garotos perigosos com quem era melhor não se meter. Agora, o refrão é uma coisa de louco, marcado por belas melodias de guitarra e a banda toda gritando o nome da canção. Uma fórmula-padrão dos Scorpions, que tornou a banda bem famosa na época.

    O segundo maior sucesso da carreira dos Scorpions tem uma das introduções mais famosas da história do Rock: "Rock You Like A Hurricane" tem a introdução de guitarra tão famosa quanto "Smoke On The Water" do Deep Purple ou "Stairway to Heaven" do Led Zeppelin. Os vocais sussurrados e guitarras controladas logo se tornam. Klaus Meine declama na letra uma animada noite na vida de um rocker, com aquele famoso refrão: "Here I Am/Rock you like a hurricane", absorvível desde a primeira audição, e que faz qualquer apreciador de Hard Rock vibrar da ponta dos cabelos da cabeça até o dedo mindinho do pé. O solo de guitarra de Matthias é delirante, de deixar os fãs do estilo em êxtase. Êxtase esse só não superado pelo que o do refrão causa...

    Mais um rockão... "I'm Leaving You" faz quem tem o Rock nas veias ter uma súbita vontade de querer dançar e sacudir o esqueleto a noite inteira. Perto de tantos hits que o álbum carrega, acaba tornando-se meio apagada, mais a letra, que é um desenvolvimento do tema do título, faz a música não ser percebida devido aos dois petardos anteriores seguirem fórmula de construção parecida: riff empolgante+refrão extasiante+solo hipnotizante. Mas é inegável que a música tem suas virtudes, apesar de sua fama se restringir aos fãs da banda.

    Após tanta pancada em cima de pancada, os Scorpions mostram um clichê que eles ajudaram a registrar: uma balada lenta para relaxar (olha, rimou!)... É ruim, hein? "Comig Home" só é balada até a sua metade. Depois disso, entram guitarras furiosas e melódicas, deixando os desavisados de plantão desarmados devido ao poderio da canção, com sua letra nostálgica, solos estridentes e bateria vigorosa. "We go wherever you like/To rock'n'roll"...

    "The Same Thrill" é outro hard rock daqueles, com um riff que mais parece um alarme, complementado por cozinhas e vocais rápidos. A letra, mais Rock And Roll impossível, fala de um cara que era rebelde na escola, que não queria estudar, queria era tocar guitarra. "Me conte outra alternativa/Para o que eu estou fazendo/ Mas eu acho que não há outro estilo de vida/Forte feito esse", canta Klaus Meine. Jürgen maltrata a bateria ao final da música.

    Outro hit do álbum... "Big City Nights", uma das três contribuições da banda ao Rock mundial (depois de "Rock You Like A Hurricane" e "Still Loving You"), tem fila cativa em coletâneas de Rock, ou coletâneas brasileiras do Rock in Rio. Novamente uma letra típica da vida perigosa de um rock'n'roller, um aventureiro das "noites da cidade grande". Tudo que marca o Scorpions está lá... Se voce ainda não sacou, leia as descrições das outras músicas lá em cima. Um dos melhores solos do álbum, chegando a brilhar mais que o riff das guitarras.

    Mas, se o riff da anterior não era tão mais empolgante assim, o de "As Soon As The Good Times Roll", uma aula de música divertida. O vocal de Klaus está mais melodioso que nunca, uma de suas performances vocais mais chamativas no álbum. Uma das poucas letras mais 'reflexivas' do álbum, com o refrão "Tempos duros vão/Enquanto os bons tempos vão rolando". A banda pode não conter nenhum virtuose, mas o desempenho vocal de Klaus e o desempenho de Matthias no solo são, no mínimo, para se respeitar.

    Mostrando que a banda não trata apenas de diversão, a penúltima faixa "Crossfire" é uma canção de letra política, com uma bateria tocada de forma marcial, falando do desperdício de vidas sob fogo cruzado em uma guerra inútil, com o refrão "Compreenda/Nós não queremos lutar/Nós somos muito jovens para morrer/ Ninguém ira sobreviver/Nós amamos nossa vida". Pode não ser o hard rock típico da banda, mas vale pela criatividade e pela mensagem. Jürgen faz um belo trabalho no ritmo da bateria, enquanto as melodias da guitarra também estão muito boas. Os backing vocals são feitos de forma a soarem emocionantes.

    "Still Loving You"... a música mais famosa dos Scorpions, uma das baladas rockers mais famosas de todos os tempos, com melodias tão famosas, uma letra tão apaixonada e doída, um refrão tantas vezes repetido ao longo desses 20 e poucos anos desde que o álbum foi lançado... Mas... clássico é clássico. Essa música comprova que rockeiros também amam, e quando amam, ficam melosos que nem todo mundo. Pelo menos as declarações são mais poéticas do que coisas como "Se ela dança/eu danço...", "Ô menina deixa disso/Quero te conhecer..." e coisas assim... Quem nunca ouviu a interpretação magistral e emocionada de Klaus Meine nessa canção? Quem nunca ouviu o solo cheio do famoso fílin, digo, feeling? Quem que gosta de Scorpions nunca chorou ouvindo, mesmo sabendo que os amigos iriam chamar de "brega"? Pooois é...

    Ao longo dos tempos, você pode tornar-se um cara mais exigente, e poderá começar a achar que os Scorpions se repetem demais... Que os riffs empolgantes são sempre empolgantes... Que as baladas bonitas são sempre bonitas... Mas o valor dos caras é inegável. Hoje em dia, eles não tem 50% da fama que tinham no passado, mas acho que eles já lucraram o suficiente para não poderem reclamar de nada, certo? Enfim, não custa nada constatar que quem gosta de Whitesnake, Kiss, Rainbow, UFO, provavelmente também adora Scorpions. O nome da banda ser citado entre os principais nomes do bom e velho Hard Rock já faz valer a pena uma ouvidela em seus discos antigos...

    Marcadores:

    posted by billy shears at 1:51 PM

    14 Comments:

    Anonymous izadora disse:

    existe alguém que consiga ficar indiferente ao ouvir Scorpions?



    *Off topic*
    09 músicas é uma miséria pra um cd.

    4:29 PM  
    Anonymous Lucas disse:

    Ah, Scorpions...
    Muito bom.. muito bom!

    4:29 PM  
    Anonymous Andressa disse:

    Amooo scorpions.

    E com certeza Rock Like a Huricane bora qualquer um pra abalar!

    Beijos!

    4:32 PM  
    Anonymous Raysa disse:

    aaah céus... acho que eu só conheço umas 3 músicas dos Scorpions haha ;D
    gostei especialmente da introdução sobre a Alemanha ;D auhsuieuhasuhasu
    e da resenha, é claro!
    mto boa [pra variar um pouco!]
    bejo ber ;**

    11:12 PM  
    Anonymous vinicius disse:

    cara, scorpions eh foda... esse cd eh foda...
    rock you like a hurricane eh foda..
    ahh e a resenha ficou mto foda tb haha

    abraços, flw

    11:14 PM  
    Anonymous Gabriel disse:

    Scorpion eh mto manero, curto mto essa banda!
    o blog ta show como sempre kra, vlw!!

    11:16 PM  
    Anonymous Octavio disse:

    Scorpions é massa

    10:24 AM  
    Anonymous Gabriel disse:

    O Primeiro post desse blog que me agrada
    eu checo o blog de vez em quando, e sempre me decepciono, a "critica" do blog parece ser unânime quanto a todos os assuntos, ninguém nunca difere em opiniões, eu estava vendo os arquivos, "bate cabeça com Greed Day" ou qq coisa assim, TODO o "corpo docente" do blog, concordando em todas as faixas, com a mesma opinião, e palavras muito parecidas, vocês precisam de mais diferenca de opinião e mais crítica, "Greed Day" só toca "punk" porque foi mandado, a banda tem 16 anos de banda, e só faz sucesso a 4... tem algo errado aí...
    depois, comparar cólera e ratos de porão com grindcore foi covardia...
    vocês tem que se definir e apresentar pontos de vista diferentes sobre um mesmo assunto.
    espero que ao menos leiam isso.
    obrigado pela atenção
    Gabriel

    11:11 AM  
    Blogger bêr disse:

    Caro Gabriel:

    Suas críticas ao Green Day foram infundadas. Peço que leia sobre a banda antes de falar que eles fazem sucesso há 4 anos.

    Quanto ao Bate-Cabeça, eu também achei esse defeito nele, sabe? Mas infelizmente, só os membros fãs de Green Day que estavam disponíveis na ora.

    Você diz que a gente precisa de "mais opnião" e de "mais crítica". Mas não é algo que daria certo, por exemplo, se o Dark - amante das vertentes mais pesadas e brutais da música - resenhasse o disco do Arctic Monkeys, uma banda de indie rock britânico. Mas, na minha opnião, o disco dos caras ficou ÓTIMO, ficou bem foda. Mas o Dark muito provavelmente iria descer a lenha. Assim como não daria certo eu fazendo resenha de Agathocles ou bandas assim, pois odeio grindcore.

    (Dark, se você estiver lendo isso, foi mal te usar como exemplo... Hahaha.)

    É mais ou menos como a Roadie Crew faz: a gente resenha aquilo que gosta. Assim, o público fã de determinado estilo, vai saber se determinado álbum é bom ou ruim (Além do mais, escutar álbuns que não agradaram a gente mais de uma vez, é chato pra caramba!).

    Quanto ao "vocês tem que se definir e apresentar pontos de vista diferentes sobre um mesmo assunto.", isso vai depender muito do gosto de quem participa das matérias feitas em conjunto. Mas o blog ainda é novato em termo de matérias em grupo. Nesse caso, a sua crítica é bem vinda. Nos esforçaremos paa melhorar isso (Ou, pelo menos, chamar quem discorda para opinar).

    Agora, matérias feitas por uma só pessoa, de fato, são a grande predominância desse blog. Mas procuraremos melhorar o nível das matérias em grupo.

    Obrigado pela sua opnião, afinal, queremos saber da galera o que está bom ou o que não está.

    Grato. (:

    12:27 PM  
    Blogger bêr disse:

    *na ora = na hora.

    Eu e meu analfabetismo.

    12:28 PM  
    Blogger Lisbon disse:

    Os sons que cinheço deles são mt bons, e julgo que fizeram há 1 ou 2 anos uma espécie de best off gravado em Portugal e pelo que ouvi é 5 estrelas.

    ps curtí o post sobre Ok computer. Até deu pa voltar a ouvir o cd de novo.

    Cumps

    10:53 PM  
    Anonymous Giulianno disse:

    Sei que é um pouco tarde para o comentário, mas...

    Entrei por acaso na resenha de "Love At First Sing", do Scorpions, e, como fã de carteiraço da banda, creio que há algumas informações equivocadas no decorrer do texto.

    1º) O Scorpions não começou a tocar no final dos anos 70, tanto que o primeiro disco (Lonesome Crow), datado de 1972, já está com o nome Scorpions na capa (inclusive há um escorpião também).

    2º) A formação da banda para o álbum analisado na crítica está errada. O guitarrista é Rudolf Schenker, irmão de Michale, ex Scorpions. E o baterista já é Herman Rarebell. Jürgen Rosenthal participou dos primeiros discos.

    Quanto a resenha em si, concordo com tudo. Scorpions é uma puta banda e "Love At First Sting" um dos melhores discos dos alemães. Parabéns pelo blog.

    3:54 AM  
    Anonymous Anônimo disse:

    pô cara mto loku essi blog aê!!!!!!
    na minha opniaum a melhor musica dos scorpions eh still loving you, osom da guitarra eh mto baum!!!!!!!!!!
    cv seres do submundo!!!!!!!!!

    4:11 PM  
    Anonymous Anônimo disse:

    Concordo plenamente de que os scorpions e a melhor banda de rock de todos os tempos.As musicas da banda são completas,boas para qualquer ocasião.Quando estou triste escuto as musicas e me alegro,e se estiver feliz me alegro mais ainda,enfim os caras são demais!

    11:24 AM  

    Postar um comentário

    << Home

    _______________________________