colaboradores

BERNARDO
18 anos, RJ
+ info

NARA
16 anos, SP
+ info

LUDEN
15 anos, SP
+ info

SAM
16 anos, SP
+ info

VITOR
18 anos, RJ
+ info

LIZ
15 anos, RJ
+ info

NAT
17 anos, SP
+ info

GABO
16 anos, SP
+ info


Previous Posts

a r q u i v o s

  • Janeiro 2005
  • Fevereiro 2005
  • Março 2005
  • Abril 2005
  • Maio 2005
  • Junho 2005
  • Julho 2005
  • Setembro 2005
  • Outubro 2005
  • Novembro 2005
  • Dezembro 2005
  • Janeiro 2006
  • Fevereiro 2006
  • Março 2006
  • Abril 2006
  • Maio 2006
  • Junho 2006
  • Julho 2006
  • Agosto 2006
  • Setembro 2006
  • Outubro 2006
  • Novembro 2006
  • Dezembro 2006
  • Janeiro 2007
  • Fevereiro 2007
  • Março 2007
  • Abril 2007
  • Maio 2007
  • Junho 2007
  • Julho 2007
  • Agosto 2007
  • Setembro 2007
  • Outubro 2007
  • Novembro 2007
  • Dezembro 2007
  • Janeiro 2008
  • Fevereiro 2008
  • Março 2008
  • Abril 2008
  • Agosto 2008
  • Setembro 2008

  • L    i    n    k    s

  • Google News
  • Rock Town Downloads!
  • ~Daia.no.Sakura
  • Young Hotel Foxtrot
  • É Rock And Roll, Baby
  • Musecology
  • O Resenhista
  • Dangerous Music No Orkut

  • B    U    S    C    A


    L i n k    U s




    c r e d i t o s

    Powered by Blogger
    Design by Nara

    segunda-feira, dezembro 19, 2005
    S.O.D.-Speak English Or Die


    Hoje pela primeira vez no site, uma resenha de um álbum de Crossover! Isso mesmo, estilo um tanto desconhecido, mas que foi tão popular quanto o Thrash nos anos 80, com bandas como S.O.D. (Stormtroopers Of Death), D.R.I. (Dirty Rotten Imbecies), M.O.D. (Method of Destruction) e o não tão desconhecido Suicidal Tendencies.

    O estilo andou coladinho com o Thrash, marcando a década de ouro do estilo nos anos 80, sempre as bandas de ambos estilos faziam shows juntos e a razão disso é a sonoridade que se identificam bastante principalmente pela velocidade e agressividade. O Crossover significou a união do Hardcore/Punk com o Metal, graças ao D.R.I. que em 1982 fundou o estilo com o Dirty Rotten LP, mas o estilo ficou estagnado nos anos 80 e hoje há poucas bandas que seguem o estilo.

    E a resenha é do Stormtroopers Of Death, ou se preferir S.O.D., cujo foi um projeto paralelo de Scott Ian (guitarrista do Anthrax) e Charlie Benante (baterista do Anthrax), junto com o Dan Lilker (baixista Nuclear Assault) e Billy Milano (que mais tarde fundaria o M.O.D.), a resenha é do primeiro álbum da banda, chamado Speak English Or Die, que surgiu bem quase como uma brincadeira dos 2 membros do Anthrax, Scott Ian e Charlie Benante. O Anthrax ainda estava no seu começo, e pelas turnês não ocuparem todo o tempo da banda, creio que eles tiveram um tempo de seguir com o projeto.

    Speak English Or Die é um álbum rapidíssimo e variado, misturando muito bem o Hardcore com o Thrash Metal, faixas rápidas e muito bem-humoradas.

    March Of The S.O.D. abre o álbum como um convite para a segunda faixa Sargent 'D' & The S.O.D, que é outro convite, este para abrir uma roda de hardcore! Com riffs acelerados e dançantes, vão mostrando a criatividade da formação que se nomeou Stormtroopers Of Death.


    O álbum segue a todo vapor com faixas furiosas como Kill Yourself, que é uma das mais legais e do álbum, a clássica Milano Mosh mostrando o bom humor que Scott e Charlie levam ao Anthrax, tudo isso um grande ingrediente para um bate-cabeça!

    A faixa título Speak English Or Die é de delirar, o baixo esmagador de Dan Lilker e os bumbos de Charlie roubam a cena na faixa.

    O ritmo dançante na bateria de Charlie Benante misturado com a paulera de solos rápidos de Scott em United Forces torna o álbum uma obra prima em criatividade.

    A velocidade de Chromatic Death, lembrado até algo Death nas subidas e decidas de escala na guitarra, os vocais acelerados em Pi Alpha Nu e o vocal de todos os integrantes na faixa Freddy Krueger, faz um dos vocais mais legais do Crossover, se bem quem é muito difícil você achar algum vocal chato no Crossover, que é um estilo com ótimos vocalistas, primando pelo carisma.

    Há ainda aquelas faixas curtíssimas, como Anti-Procrastination Song, The Ballad Of Jimi Hendrix, ambas de apenas 6 e 5 segundos, a bem-humorada Hey Gordy de 7 segundos, Diamonds And Rust (Extended Version) de apenas 9 segundos (esse extended version foi bem sátiro em), Fuck The Middle East, uma faixa que passa como um raio, e a divertida What's That Noise?, que você tem a impressão que o seu som está com algum defeito, pois aparece uns chiados de matar!

    Pre-Menstrual Princess Blues tem um vocal bastante hilário, hora parecendo de uma menina fresca e escandalosa reclamando, hora um vocal acelerado grosso.

    Música com os famosos blast-beats (batidas aceleradas na bateria, característica marcante no Grindcore) em Milk, e faixas totalmente pirantes de se ouvir como a Pussy Whipped, esta fazendo qualquer um abrir roda de hardcore em qualquer lugar, até se você estiver sozinho, First Banging Mania cuja é cheia de ritmos alucinantes, onde consegue ser dançante e ao mesmo tempo insana, com o vocal se igualando a velocidade dos riffs e batidas na batera, e a Douche Crew onde os riffs arranham sem parar sua cabeça e também há algo dançante, faixas para ninguém ficar parada, seja batendo cabeça, seja correndo, seja pulando, seja numa roda de hardcore, seja fazendo mosh.

    Enfim, Speak English Or Die é um fenômeno, um álbum divertido, descontraído, e mais impressionante é que não deixa de ser rápido e pesado, é aquele álbum que você deixa rolando no som e sem nenhum esforço você consegue escutar umas 8 vezes seguidas, e com certeza o prêmio criatividade é dado a eles, um álbum totalmente diferente, hardcorizado, momentos dançantes, descontraído, linhas influentes e excelentes do baixo de Dan Lilker, vocal carismático e variado de Billy Milano, a guitarra massacrante de Scott e uma bateria de deixar louco de Charlie Benante, com uma cozinha destas também, poderia esperar o que? Um dos melhores álbuns de Crossover, estilo que marca a união do Hardcore com o Metal sem preconceitos, sem limitações, e é com união que ambos os estilos se fortalecem. Quer divertir e bangear ao mesmo tempo? Não perca tempo meu amigo, S.O.D. é diversão garantida para toda a família!

    Marcadores:

    posted by Dark at 12:56 AM

    7 Comments:

    Anonymous Izadora disse:

    eu não conheço a banda, mas a música que você m mandou era do caralho!
    e a resenha tá foda...gostei muito da capa
    Te amo, Pedro :*

    12:26 AM  
    Blogger bêr disse:

    Quando eu conheci a banda eu pensei que a sigla queria dizer Speak english Or Die também xD, mas aí você me contou o real significado verdadeiro, hohoho.

    Só conhecia de nome, lendo entrevista do Millano na Roadie Crew, mas baixei coisa deles no Soulseek de você e gostei bastante.

    Adorei a resenha. Bem objetiva e bem divertida de ler, assim como a banda.

    Não acho que seja diversão pra toda família...Afinal, minha madrinha ou minha avó vão querer escutar AHUAAHUAHUAAHUAHU.

    Abraço ae ;D

    12:28 AM  
    Anonymous Bless disse:

    To com preguiça de ler tudo 8D

    12:29 AM  
    Anonymous Andy Priest disse:

    CARA! MUITO FODA! PUTA CLÁSSICO! UNITED FORCES TRAZ UMA PUTA RECORDAÇÃO DA MINHA ADOLESCÊNCIA! GRANDE DISCO Q INFELIZMENTE ANDA ESQUECIDO MAS Q FOI MUITO CULTUADO NA SUA ÉPOCA!

    12:29 AM  
    Anonymous Cachaça disse:

    foda pah caralhooo, porra.
    mó fodona a sua resenha xD~~
    li ela de cabo ah rabo
    muito tr00
    braco ae o/

    12:30 AM  
    Anonymous crusher beast disse:

    caraaaaaalhooooooooooooo S.O.D eh mto fodaaaaah
    sua resenha tah otima, + uma banda foda soh tinha q ter uma rezenha de auto nível neh?
    abrcs
    t+

    12:30 AM  
    Anonymous Luís disse:

    QUERO BAIXAR ESSE ALBUM!

    você me deixou curioso...

    12:30 AM  

    Postar um comentário

    << Home

    _______________________________